17/07/2011-Domingo – Talento dos Mercantes – 01 – MOM Wellington da Costa Machado

Talento dos Mercantes – 01 – Moço de Máquinas (MOM) Wellington da Costa Machado

Frequentemente a bordo dos navios mercantes encontramos colegas com grandes talentos artísticos, esportivos, culturais, técnicos e outros. Eu venho agora tentando descobrir estes talentos dos colegas mercantes e divulgar neste blog.
Começando com o moço de máquinas (MOM) Wellington da Costa Machado que veio na última estadia do navio no Rio de Janeiro, de Cabedelo para embarcar aqui no NT Lages da Transpetro, onde eu também estou embarcado como imediato. O meu primeiro contato com o Wellington ocorreu de forma inusitada e tumultuada, pois eu havia saído do serviço e o Wellington ligou para o navio para perguntar como proceder para embarcar no mesmo, pois havia perdido a lancha do Caju. O mesmo foi orientado a dirigir-se para o pier da Praça Mauá de onde partiria a próxima condução para o navio, por volta das 23 hs, mas o nome dele não estava na lista de tripulantes e ele não podia embarcar por ali e o jeito foi alojá-lo em um hotel nas proximidades até o dia seguinte. Depois de muitos telefonemas de ambas as partes conseguimos resolver o problema. Ele embarcou no dia seguinte e nunca me passou pela cabeça tratar-se de um grande artista e escritor até o dia em que ví ele entregando o livro “Gemas do Pensamento” para a primeiro piloto Érica Gomes. Foi então que descobri os grandes talentos que o mesmo possui. Cantor, músico, escritor, piloto de trem e quase piloto de avião, entre outras atividades. E aqui está uma pequena amostra do nosso talentoso moço de máquinas Wellington, cidadão cabedelense.

MOM Wellington e seu livro "Gemas do Pensamento", no navio Lages

MOM Wellington e seu livro "Gemas do Pensamento", no navio Lages

o MOM Wellington no navio Lages

o MOM Wellington no navio Lages

Por: Wellington Costa, Moço de Máquinas do navio Lages, o poeta navegante.

O ‘Livro da Vida’ definitivamente guardava um capítulo para o poeta navegante Wellington da Costa Machado.

Nascido na cidade paraibana de Cabedelo, desde cedo foi influenciado pela música e pela cultura. Seu pai, Wilson do Bandolim, músico, instrumentista e compositor, é o precursor do “Chorinho Brasileiro” em Cabedelo e Wellington Costa, mesmo ainda criança, o acompanhava em suas apresentações.
Foi através do pai, que já teve parceiros como Jackson do Pandeiro e Sivuca, que aos dezesseis anos, já ganhava a vida ensinando violão e participando de grupos culturais como o Coral e o Grupo de Violões do SESC-PB; Coral da UFPB e Grupo Instrumental do Instituto Superior de Educação Musical, chegando ainda a cursar dois anos do curso de Bacharelado em Música pela UFPB e sendo um dos músicos fundadores da Orquestra de Violões da Paraíba.

Começou a escrever poesia ainda na adolescência influenciado pelo poeta paraibano Ronaldo Cunha Lima, porém, só em 2007, por patrocínio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura de Cabedelo, foi que conseguiu ver publicado seu primeiro trabalho ‘Gemas do Pensamento’.

Sem conseguir mais parar de escrever, editou outras obras a convite de seus autores, como “Lembranças da Juventude” e “Escravo da Lua”. Em 2010, lançou a antologia “Assim Nasce a Poesia”, coletânea poética e registro fotográfico da cidade de Cabedelo. Ainda em 2011, Wellington Costa estréia nos gêneros aventura e cinema, com o livro “A Lenda da Aranha do Mar” e o documentário “Conversa de Bandolim”, o qual retrata a vida e a arte do mais ilustre instrumentista e compositor cabedelense, Wilson do Bandolim.

Possui participação em diversos CD’s, ora como instrumentista, ora como compositor. Recentemente, participou do livro antológico ‘Sonhos de Feliz Cidade’, promovido pelo SEBO Cultural e pela faculdade UNIPÊ.

Por acreditar que coragem é mais que a ausência do medo, trilhou por diversos caminhos profissionais até se tornar marítimo: jardineiro, vendedor de picolé, pintor de letreiro publicitário, garçom, socorrista, professor de música, radialista, jornalista, músico instrumentista, publicitário, piloto de locomotivas, professor de biologia, piloto privado de avião, Conselheiro Tutelar e marítimo.

Em sua trajetória profissional, foi agraciado com Carta de Elogio por Ato de Bravura pela Companhia Brasileira de Trens Urbanos e Votos de Aplauso pela Câmara Municipal de Cabedelo e Assembléia Legislativa da Paraíba por sua atuação no jornalismo municipal e Estadual.

Seu ingresso na Marinha Mercante se deu por dois motivos: juntar recursos financeiros para a conclusão do curso de Piloto Comercial de Avião e escrever um livro (atualmente está escrevendo o mesmo no navio), contando a saga do marinheiro mercante. Acabou se apaixonando pela carreira marítima, acreditando que é olhando para dentro de nós mesmos que reconsideramos o que damos como certo e a contemplar o legado que vamos deixar.
Atualmente (17/07/2011) está embarcado no navio tanque Lages da Transpetro trabalhando como Moço de Máquinas.
Moço de Máquinas: auxilia o oficial de máquinas de serviço, executa os serviços de limpeza, tratamento e pintura da embarcação.

Capa do Livro " Gemas do Pensamento" do MOM Wellington da Costa Machado

Capa do Livro " Gemas do Pensamento" do MOM Wellington

Contracapa do livro do Moço de Máquinas Wellington

Contracapa do livro do Moço de Máquinas Wellington

Palavras do MOM Wellington sobre o livro

Palavras do MOM Wellington sobre o livro

Palavras do MOM Wellington sobre o seu livro "Gemas do Pensamento"

Palavras do MOM Wellington sobre o seu livro "Gemas do Pensamento"

Um dos poemas do livro "Gemas do Pensamento" do MOM Wellington

Um dos poemas do livro "Gemas do Pensamento" do MOM Wellington

Outra amostra dos poemas do MOM Wellington

Outra amostra dos poemas do MOM Wellington

E mais um poema do colega MOM Wellington

PS1: Agora já temos dois escritores mercantes tripulando os nossos navios da Transpetro. Além do Wellington também temos o taifeiro Ezequiel Lacerda do Lorena BR (Janeiro de 2012), conhecido como Zeca , O Cronista, com o seu livro “Paixão Oceânica”. Vejam mais em http://www.pepeh.com.br/blog/?p=3997

.

Sobre pepeh

Engenheiro eletrônico formado pela Uerj, pós graduação em Ciências Ambientais pela UFRJ, pós graduação em Telemática pela Universidade Estácio de Sá, técnico em Telecomunicações pelo CEFET, Capitão de Cabotagem pelo CIABA. Hobbies: escalada, montanhismo, veleiros, rapel, maratona e meia-maratona.
Esta entrada foi publicada em Marinha Mercante. Adicione o link permanente aos seus favoritos.
  • Pingback: Talento Mercante – Mecânico Sandro José da Silva. – Pepeh.com.br (Autor Pedro Santos)

  • Pingback: Ainda o Ano Novo Chinês. Seaman´s Shop do John. Galera do NT Lorena BR – Pepeh.com.br (Autor Pedro Santos)

  • Felix Pacheco Dantas

    Conheci o Wellington Costa palestrando para trabalhadores na cidade de Campina Grande. Na época, em 1999,já atuava brilahantemente no rádio, como líder do movimento nacional pela democratização da comunicação.

    O vejo como um baluarte nas lutas sociais e na cultua. Não se enganem, esse jovem, só precisa de uma oportunidade. Dono de um coração gentil e fiel Às suas amizades, sabe conquistar as pessoas com seu jeito de falar e de defender suas ideias.

    Faz cerca de 5 anos que não o vejo, o desscobri ao escrevr seu nome no google e acabei me deparando com reportagem. Poucos sabem, mas Costa ainda tem um ótimo trabalho realizado nas áreas da música e da luta sindical, neste último caso, arriscando até a vida, lembra das ameças que vc sofreu Costa ao defender com brilhantismo os direitos dos ferroviarios em 2002?
    abç amigo!

  • EMMANUEL CESAR

    ola meu amigo wellington,que bom sber que vc esta fazendo parte da vida de ser maritimo,já eu estou esta vida á desde 2004. atualmente estou emparcado em um navio da log-star carga geral também já fui moço de maquinas um dia,sou marinheiro de maquinas á quase dois anos e daqui a mais um tempo serei 3º maquinas condutor,que eu tenho certeza que você também será.
    Só que o maior motivo de esta ti enviando esta mensagem,é o orgulho que eu também é de ser mais um bom paraibano que gosta de fazer com prazer o que escolheu na vida como ser marítimo.
    fica aqui um meu forte abraço e que Deus continue ti bençoando.

    Atenciosamente: Emmanuel Cesar -MNM.

    • http://picasaweb.google.com/PeterNatGreen/ pepeh

      O Wellington já desembarcou do NT Lages. Está curtindo umas merecidas férias.

  • http://ciganinhadina.blogspot.com/ Diná Fernandes

    Se n~~ao fosse o meu hábito de está sempre a pesquisar, não iria tomar conhecimento dessa honrosa homenagem ao nosso Welllington, este ser que canta, toca, escreve é possuidor de muitos outros tributos que fazem a diferença em sua vida.
    Pepeh, nós cabedelenses nos sentimos honrados e lisonjeados, como é bom saber que existe pessoas com tamanho senso de percepção que tão brevemente descobriu o talento do MOM, justa e merecida homenagem,ele merece é uma criatura de coração imenso, manso, amigo
    colaborador, e suas raízes fixaram a árvore da sua vida sempre a brotar bons frutos!

    Parabéns ao Pepeh, parabéns Welligton!
    Que a Luz esteja com vocês nessa maravilhosa viagem que além de marítima, é também poetica!

  • Alberto Medeiros

    Os parabéns seguem também para o senhor Imediato que teve a inicativa de divulgar os talentos da empresa. Wellington Costa é um daqueles que fazem encher de orgulho os cabedelenses. Sorte da Transpetro que o tem como profissional. Não tardará muito para que Costa surpreenda ainda mais com seus talentos, sabedoria sensibilidade.

    Parabéns ao senhor Pedro Santos, Pepeh, e ao poeta Wellington Costa

  • Roseleide Santana de Farias

    Olá! Quero aquí deixar meu registro parabenizando e agradecendo ao nobre imediato Pepeh, por esta matéria em que fez jus à Wellington Costa. O nosso querido amigo é um companheiro de resgate, vivificação à memória cultural da nossa querida terra Cabedelo/PB. Hoje, também um gentil marinheiro, que usufruindo e inspirando-se no perfume e nas belezas das cercanias do céu e do mar, haverá de brotar desta alma sensível e evoluída, muito mais tesouros, flores e outras jóias da poesia, “n” outras artes, criatividades, dons que lhe são tão peculiares! Meu carinhoso abraço aos dois companheiros, Pepeh e Wellington Costa! PAZ, AMOR, DIVINA LUZ!

  • Pingback: Mais um cabedelense vencedor nas estradas da vida, e nos mares | SOLTANDO O VERBO

  • Pingback: O Poeta da Transpetro – Conheça o trabalho do MOM Wellington Machado | Portal Marítimo